LIVRO DE ARTISTA / VERSUS

Versus

Para a construção dele me apropriei de fotos, versos de fotos e documentos da família. Na pesquisa sobre memória pessoal, me detive na observação desses materiais e relembrei a forma de relacionamento entre as pessoas e as imagens que, naquele momento, estabeleciam laços afetivos. Hoje, são arquivos de memórias. Por isso, destaco o conteúdo dos versos das fotos e escolho o tamanho diminuto remetendo à algo precioso.

 

Algumas de suas páginas são impressas digitalmente em papel japonês e outras pelo processo artesanal de transferência de imagem sobre papel de restauro, também japonês. Foi criado por ocasião do convite a participar do “Caixeiro Viajante”, módulo expositivo móvel, um projeto da Casa Contemporânea lançado no final de 2019.

Versus e o Caixeiro Viajante

Versus é o livro de arista que desenvolvi para participar do Caixeiro Viajante.

Caixeiro Viajante é um dispositivo móvel, uma proposta da Casa Contemporânea que surge devido aos desdobramentos das atividades voltadas ao universo do livro de artista e com o objetivo de percorrer outros espaços e eventos.

Seu aspecto remete à uma árvore com seus galhos-caixas onde estão acondicionados os livros de artista como frutos que podem ser “colhidos” pelos visitantes e serem saboreados em sua beleza e criatividade.

Criado com a intenção de ativar espaços e públicos distintos, sua inauguração aconteceu nas dependências da Casa Contemporânea em dezembro de 2019, por ocasião da comemoração dos 10 anos de atividade desse espaço dedicado ao diálogo interdisciplinar de arte contemporânea. Podendo ser considerado uma linguagem, o livro de artista e seus desdobramentos encontram abrigo nessa Casa que, desde 2010 realizou diversas exposições, ciclo de palestras, conversas com artistas e pesquisadores especialistas no assunto.

Neste projeto tenho o prazer de participar com os artistas: Augusto Sampaio, Fabiola Notari, Leonor Decourt, Lídice Salgot, Lilian Arbex, Lucimar Bello, Marcia Rosenberger, Marisa Garcia de Sousa, Margarida Holler, Rita Balduino e Irene Guerreiro.

Caixeiro Viajante é uma proposta da Casa Contemporânea que surge devido aos desdobramentos das atividades voltadas ao universo do livro de artista e com o objetivo de percorrer outros espaços e eventos.

O Caixieiro Viajante é um dispositivo expositivo móvel que consiste em doze módulos em madeira com três tamanhos diferentes, articuláveis ou não, dispostos em torno de uma estrutura metálica. Seu projeto levou em conta a facilidade para transporte e montagem/desmontagem aliada a durabilidade dos materiais utilizados.

Seu aspecto remete à uma árvore com seus galhos-caixas onde estão acondicionados os livros de artista como frutos que podem ser “colhidos” pelos visitantes e serem saboreados em sua beleza e criatividade.

Criado com a intenção de ativar espaços e públicos distintos, sua inauguração aconteceu nas dependências da Casa Contemporânea em dezembro de 2019, quando completamos 10 anos de atividade. Dessa forma, consolida-se como um espaço dedicado ao diálogo interdisciplinar de arte contemporânea. Podendo ser considerado uma linguagem, o livro de artista e seus desdobramentos encontram abrigo nesse espaço que, desde 2010 realizou diversas exposições, ciclo de palestras, conversas com artistas e pesquisadores especialistas no assunto, abriga o recente Núcleo de Livro de Artista, formado por profissionais que desenvolvem oficinas, cursos e outras atividades focadas na produção, reflexão e difusão do livro de artista (https://nucleodelivrosdear.wixsite.com/nucleolivrosartista). Criado como consequência dos últimos 5 anos  da atuação ativa do Grupo de Estudos Livros de artista, livros-objetos: entre vestígios e apagamentos, cujas ações culturais, educativas e artísticas coordenadas por Fabiola Notari em parceria com a Casa Contemporânea validam a construção desse projeto.

Artistas participantes: Augusto Sampaio, Fabiola Notari, Leonor Decourt, Lídice Salgot, Lilian Arbex, Lucimar Bello, Marcia Gadioli, Marcia Rosenberger, Marisa Garcia de Sousa, Margarida Holler, Rita Balduino e Irene Guerreiro.

 

 

 

Projeto: arquiteto Marcelo Salles